[pt] A desregulamentação ambiental encoberta pela crise do COVID-19 no Brasil

Em 2019 o mundo inteiro viu o Pantanal e o Amazonas queimarem. A área devastada foi equivalente os estados de São Paulo e Rio de Janeiro juntos. Em termos de comparação isso corresponde a cerca de 80% da área da Alemanha. As queimadas são comuns em períodos de seca, mas elas se agravaram com desmatamento ilegal na área. Na época, inúmeros chefes de Estado criticaram o Brasil pela sua inércia, e a Alemanha, assim como a Noruega, suspenderam o repasse de milhares de euros ao Fundo Amazônia.

A situação do meio ambiente no Brasil não melhorou desde então. Para piorar o cenário, o atual ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, revelou em uma gravação ministerial em abril deste ano que, com o aumento do número de casos de COVID-19 no Brasil, seria o momento oportuno para a aprovação da desregulamentação de leis ambientais no país, em outras palavras, facilitar o desmatamento em áreas de proteção ambiental e aliviar as penalidades até então aplicadas àqueles que violavam à legislação ambiental enquanto a atenção da mídia estaria voltada para a pandemia.

Depois dessa fala muitas organizações no Brasil se posicionaram veementemente contra essa fala. Dentre elas a organização internacional WWF Brasil. Convidamos para o podcast de hoje o Diretor Executivo do WWF Brasil, Mauricio Voivodic, que nos explicou em detalhes sobre a situação atual brasileira, o posicionamento do governo atual frente à questão ambiental, além de trazer valiosas contribuições sobre cooperação internacional e formas de pressão internacional para a proteção desse bem único: o meio ambiente.

avatar Mauricio Voivodic
avatar Fabian Kern Paypal Icon
avatar Stefani Rackes da Silva
avatar Livia Duarte

[pt] Os invisíveis que lutam pela vida

o COVID-19 e a população carcerária brasileira

A falta de uma política clara de contenção da pandemia de COVID-19 no Brasil afeta negativamente (e exponencialmente) os grupos mais vulneráveis, especialmente nas favelas e comunidades carentes. A população carcerária brasileira tem vivido à margem das políticas públicas e de qualquer garantia de direitos fundamentais há muito tempo. Em geral, 40% dos presos estão presos provisoriamente e muitos desses nunca exerceram seu direito de defesa. E eles têm um rosto: são negros, pobres oriundos da periferia. Com a crise do COVID-19 no Brasil a situação para esse grupo tem ficado cada vez pior: as famílias não podem levar itens de higiene básica ou alimentos; autorizações de soltura para presos doentes, mulheres grávidas e lactantes são negados. O que há é a decretação de sua sentença de morte e sua estigmatização.

Nosso convidado Frank Fechner trabalha em duas prisões próximas de Berlim. Ele nos relatou como está sendo o dia-a-dia dos presos na Alemanha durante essa pandemia, e também compartilhou os maiores medos em relação a um possível surto de contágio. Como convidada, também trouxemos a irma Petra Pfaller que é coordenadora da Pastoral Carcerária e trabalha há 25 anos no atendimento da população carcerária no Brasil. Ela compartilhou muito da sua experiência local e quais são os maiores problemas (e perigos) enfrentados por essa população.

O +1C@fé traz esse podcast para que cada vez mais as pessoas possam se sensibilizar, afinal, a vida e a dignidade humana devem sempre prevalecer. Permaneçam saudáveis e fiquem em casa.

avatar Irmã Petra Silvia Pfaller mc
avatar Frank Fechner
avatar Fabian Kern Paypal Icon
avatar Nils Brock
avatar Livia Duarte
avatar Stefani Rackes da Silva

[pt] Coronavirus na favela

Nesta edição do +1cafe, voltamos a falar sobre a pandemia do novo coronavírus. Desta vez, o foco foi específico: como as pessoas mais vulneráveis estão vivendo com a ameaça da doença no Brasil?

Para ter um pequeno panorama da situação, conversamos com a jornalista Gizele Martins, que mora no conjunto de favelas da Maré, no Rio de Janeiro. Ela faz parte de um grupo de comunicadores que estão promovendo informação de qualidade e tentando minimizar os problemas causados pela ausência do Estado nas favelas do Rio de Janeiro. Conversamos também com Monika Ottermann, que mora em São Bernardo do Campo, cidade do estado de São Paulo. Ela apoia atividades do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST) em sua luta pelo direito à moradia. O MTST também está buscando solidariedade no Brasil e em outros países para doações já que as pessoas do movimento sofrem com a ausência das políticas públicas que garantam direitos básicos. Gizele e Monika falaram dos desafios da população excluída, que passa por falta de água, de comida, pelo preço cada vez mais caro do gás, e até falta de celular e internet, empecilho para acessar a ajuda (prometida) pelo governo federal.

E para quem puder ajudar com recursos, deixamos os links para as campanhas de que falamos no programa:

avatar Monika Ottermann
avatar Gizele Martins
avatar Fabian Kern Paypal Icon
avatar Nils Brock
avatar Livia Duarte

[pt] Update Coronavirus 02.04.2020

Neste edição do +1C@fé voltamos a falar sobre os efeitos da pandemia do coronavírus no Brasil e na Alemanha. Começamos com o panorama do que estamos vivendo e vendo pessoalmente em cada lado do Oceano. E conversamos sobre os principais temas de debate em cada país.

Na Alemanha, onde já os números de casos novos se estabilizam, o governo sinaliza avaliar os dados para decidir se vão ou não retomar alguma normalidade a partir de 19 de abril; há um debate sobre uso obrigatório de máscaras por toda a população e polêmica sobre um aplicativo que pode ajudar na quebra das cadeiras de contaminação – abrindo a porta para o controle dos indivíduos.

No Brasil, onde os casos aumentam dia a dia e tendem a explodir com o aumento das testagens, o debate se organiza em dois grandes temas: por um lado, o que fazer com a economia? E por outro, o que fazer com Bolsonaro, o presidente da República que não se convence sobre as medidas de isolamento social e segue incitando que as pessoas saiam à rua normalmente. E que cria crises seguidas com governadores e prefeitos. Falamos também dos protestos populares contra Bolsonaro, os panelaços, e do que pode acontecer aqui, na Alemanha e mesmo no sul-global, que concentra número maior de pessoas vulneráveis. Como se informar aqui e lá também foi tema neste +1C@fé.

avatar Fabian Kern Paypal Icon
avatar Livia Duarte
avatar Nils Brock

[pt] Tempos de mudanças profundas

O Coronavírus está se espalhando rapidamente no Brasil e o Governo Federal infelizmente não está disponibilizando a ajuda necessária nesse tempo de crise, especialmente à classe trabalhadora. Falamos com Carlos Magno do Centro Sabiá, uma ONG voltada à promoção do desenvolvimento agroecológico em Pernambuco:

As pessoas têm realmente a possibilidade de ficar em casa? Quais desafios o Coronavírus traz para @s trabalhador@s do Centro Sabiá? Quais opções o governo do Estado de Pernambuco tem disponibilizado para a tomada de medidas emeegenciais? O mundo inteiro está abrandando a economia – seria o tempo de repensar nosso modo de vida atual e implementar uma economia solidária e alternativa fora do modelo capitalista?

Carlos nos conta sobre a situação local e indica os caminhos e os requisitos para que todos tenham uma boa vida.

A programa foi produzido em cooperação com terre des hommes suiça.

avatar Annette Mokler
avatar Carlos Magno
avatar Fabian Kern Paypal Icon

[pt] pandemia de coronavírus no Brasil e na Alemanha

Nesta edição do +1café tratamos dos efeitos da pandemia de coronavírus no Brasil e na Alemanha. Os participantes comentam os cenários da doença e falam da busca por novos modos de viver, agora em quarentena, em Berlim e Freiburg, na Alemanha, e em Brasília e Nova Friburgo, no interior do estado do Rio de Janeiro, Brasil.

Comentamos algumas das atitudes que têm sido tomadas pelos governos do Brasil e da Alemanha e também refletimos sobre as que faltam. Tratamos também dos movimentos de solidariedade que passam a surgir e até sobre como um tempo livre, mesmo que forçado, pode adicionar coisas boas pro futuro das nossas vidas.

avatar Fabian Kern Paypal Icon
avatar Nils Brock
avatar Livia Duarte
avatar Luiza Cilente

[pt] Carbono vivo

Fevereiro começou com diversos ataques frontais aos direitos dos povos indígenas do Brasil, incluindo um Projeto de Lei encaminhado pelo presidente Jair Bolsonaro ao Congresso. O objetivo da nova lei é permitir a exploração de minério, petróleo, hidrelétricas e até plantação de transgênicos nos territórios que são protegidos hoje.

Falamos das novas polêmicas e da importância dos territórios ocupados pelos indígenas brasileiros (e de outros países amazônicos) com o jornalista Gustavo Faleiros. Ele é editor do site infoamazonia.org, que reúne muitos conteúdos sobre a região, aquecimento global, meio ambiente e ciência.

Todos esses temas, e muitos outros, tem a ver com os direitos dos indígenas. Ouça a gente, prepare um café, acesse o infoamazonia (que tem também informação em inglês e espanhol) e saiba mais!

avatar Gustavo Faleiros
avatar Fabian Kern Paypal Icon
avatar Livia Duarte

[pt] Censura na cultura

Censura na cultura é o tema desta edição de +1café. Até onde pode ir a liberdade de expressão?! Qualquer limite é censura?! Não chegamos a responder a estas perguntas, sempre polêmicas. Mas falamos de casos onde a liberdade de expressão foi questionada, sendo desafiada por conservadores. Lembramos um caso na Alemanha, de 2016, quando uma sátira com críticas ao presidente Turco Recep Erdoğan acabou em crise internacional e pedidos de desculpa. Ou recentemente, quando um programa de TV que acusava pessoas mais velhas pelo aquecimento global gerou veto ao conteúdo, com mais pedidos de desculpas. Do outro lado do Atlântico, tratamos de vários casos recentes no Brasil, que incluem da retirada de patrocínio até novas práticas, mais sutis, que pode acabar por inviabilizar a produção de conteúdos não-alinhados com o que pensam os apoiadores conservadores do governo do presidente Jair Bolsonaro.

avatar Fabian Kern Paypal Icon
avatar Livia Duarte

[pt] Aprender com o Chile – mais o quê?

Durante sua visita ao Chile em março 2019, o presidente brasileiro Jair Bolsonaro elogiou o país como modelo e “referência latino-americana”. Haveria muito a aprender aqui, pois o país tem um bom sistema de pensões e educação, produz tecnologias e negócios com todo o mundo. Mas é precisamente neste “oásis” (Sebastián Pinera, presidente do Chile) que a população vem ensaiando a revolta há semanas. Apesar das estatísticas macroeconômicas de sucesso, a vida cotidiana de muitas pessoas é marcada pela exclusão social, por condições de trabalho precárias e pelo medo da pobreza na velhice. Razão suficiente para o +1C@fé desconstruir o mito do Chile. Juntamente com o sociólogo chileno Marco Ceballos, da Universidade Andrés Bello de Santiago, perguntamos quem na América do Sul pode aprender com quem, que papel o Banco Mundial e a Europa desempenham nas reformas políticas e quanta pensão um cientista social chileno pode esperar.


avatar Marco Ceballos

avatar Fabian Kern Paypal Icon
avatar Nils Brock

[pt] De onde vem o petróleo?

Nesta edição de tratamos do maior desastre ambiental em extensão do Brasil: um derramamento ou vazamento de óleo no mar já chegou a mais de 600 pontos espalhados em 3 mil quilômetros de costa. Até agora, todos os nove estados do Nordeste e um do Sudeste foram atingidos. Especialistas alertam que o óleo deve chegar também o Rio de Janeiro.

Enquanto as praias e mangues são contaminados pelo material tóxico, dois mistérios se somam: o primeiro é a origem do petróleo. O outro tem resposta mais simples: Como pode o governo brasileiro praticamente ignorar uma tragédia destas proporções, ativa há mais de 80 dias?!

Vamos falar dos detalhes do desastre ainda em curso e pouco noticiado na Alemanha e falamos do contexto de desmonte da proteção ambiental do Brasil – que ajuda a explicar porque o governo Federal não fez quase nada diante da tragédia que afeta o meio ambiente, a economia e a vida das milhares de pessoas que vivem do mar.

avatar Fabian Kern Paypal Icon
avatar Livia Duarte
avatar Nils Brock